domingo, 9 de junho de 2013

57 LINHAS




todas as linhas se unem numa só
se a mesma acontece em rede hidrográfica
para terem uma foz onde desemboca
uma linha de água acima da qual
o pensamento entra no mar dando ondas
à poesia feita do seu sentimento
da nascente original ainda protegida
a montante da dispersão onde se chega

«Começa o dia a meio da noite,
depois de ter comido uma banana
na sala, sem esquecer a primeira coisa,
fiz chi-chi. Enquanto comia a polpa
macia, retirada de dentro da sua casca,
comecei a escrever de cabeça…
Até chegar ao ponto onde chego aqui
e concluo, vou dormir»

acordei e era o meu dia de anos
feito para a celebração de aniversário
quando queremos e lembramos a data
do primeiro registo feito em nosso nome
geralmente pelo pai no Registo Civil
onde acabamos por ser registados
para ser taxados pelo valor inicial
cobrado ou liberado

esse valor pode e deve ser valorizado
de formas melhores e mais proveitosas
sendo sempre bom haver uma Festa
onde possamos ouvir cantar os Parabéns
com aquela cara de felicidade para a qual
nos devemos preparar até ao último dia
sem fazer interrupções nos dias feriado,
pois se dispensa explicação para tanto

portanto continuo a registar em verso
o progresso do poema que, como a vida
avança e acaba no fim, sem interrupções
desnecessárias a não serem elas
o desenho perfeito do que entendemos
ser a perfeição nas nossas feições
quando elas se desenham de dentro
na vontade expressa como rosto do riso

desnecessário fazer outro juízo
onde não possamos ser réus e juízes
de tantas ideias quantas possamos dar
de barato ao que nos é caro e faz parte
da arte de iluminar os dias de estrelas
mesmo que tenhamos de esperar
a noite certa e o local ideal,
coisa de principiante para principiantes

«O dia de anos é aniversário, significa
a passagem de mais um ano sobre
a data do nascimento. No nosso
calendário pessoal, dá nova mudança
de página. Quem quiser alimentar
a imaginação, gerando imagens
tendo por base este acontecimento,
poderá todos os meses procurar

esta mudança de página. Tal não deve
ser costume ocorrer, de-
pende da tendência maior, menor, ou
nenhuma para o misticismo.
Será o caso das pessoas que têm
números da sorte, do azar, dum jogo
implícito nesse tipo de jogo cármico.»
onde todas as linhas se unem numa só

onde definitivo é o fecho da contagem!

6 comentários:

  1. ual!!!!! que show!!!!

    57 vezes parabéns! pelos anos escritos e os que ainda se escreverão, nas linhas da sua mão ou nas linhas de cadernos, encadernados pelo seu infinito talento literário!«onde todas as linhas se unem numa só»


    tudo de bom, poeta! :)

    *57 é um número de sorte. ;)


    beijos.*.

    ResponderEliminar
  2. Na contagem progressiva... Findo o ano e as páginas, Parabéns pelas linhas dispostas na paisagem que se vislumbra à sedução de um novo tempo. E temas. No livro que se abre, inteiro, à disposição da vida.

    Felicidades.

    ResponderEliminar
  3. Que mágico! Felicidades!

    Beijos. :)

    ResponderEliminar

Os comentários que receber serão pessoais, para receber resposta pessoal. Só divulgarei se contiverem esse pedido, justificando o seu motivo. O meu motivo é este, transformar a comunicação numa intenção íntima e (bem) pessoal.