quarta-feira, 30 de maio de 2012

VEADO!


Estava eu à janela quando um cara parou e me começou a paquerar, eu que era inocente perguntei se ele queria entrar. Foi assim que minha filha ganhou um pai e eu, chifre atrás de chifre, até ele desaparecer.

Zínia

11 comentários:

  1. Passando para agradecer a visita ao meu blogue e dizer que adorei a maneira linda como das minhas pobres letras fez um poema lindo.
    Quem sabe...sabe.

    Deixo um beijinho e vou voltar com mais tempo
    Sonhadora

    ResponderEliminar
  2. Coimbra, estou pasmo com a inocência de Zinia. Rsss

    lembrei de uma rapariga em Lisboa que se comportava parecido...

    Abraço.

    ResponderEliminar
  3. Disseram os especialistas que com imagens se conta a história do mundo em 30 segundos! Eu lhe digo que com os contos breves você contou-nos personagens originais em 30 post's! Suas criações preencheram a história de nosso mundo de leitura com 30 dias biográficos. Bacana!

    Beijo.*.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. EMD,
      Já vai em mais de cinquenta post's... ;)
      Beijo (*)

      Eliminar
  4. Engraçado e bem aquitetado! Quantas Zínias não haverá por aí? Que sorte ele ter desaparecido!
    Boa Tarde! Jacira Amaral

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Como terá desaparecido?... :)
      Boa, noite chegando!

      Eliminar
    2. Difícil Poeta, desaparecer desaparece de várias maneiras.Até o esquecimento é uma forma.Sufocar outra.
      Espero que cada um esteja feliz, isso conta! Beijos no coração!

      Eliminar

Os comentários que receber serão pessoais, para receber resposta pessoal. Só divulgarei se contiverem esse pedido, justificando o seu motivo. O meu motivo é este, transformar a comunicação numa intenção íntima e (bem) pessoal.