segunda-feira, 18 de junho de 2012

CORPO E ALMA


«Pergunto-me se acaso sentes o que há de encanto no amor sem sangue», E.A.

Prefiro escrever pouco a escrever de mais, ou nada escrever. O conto não têm história pré-definida quando decorre do correr da(s) mão(s) fazendo a escrita, a sua construção é a história curtida de sentir onde a escrita lhe dá corpo e alma.
Não procuro dizer coisas especiosas, mas gosto da viagem de quem procura especiarias, ir, voltar, nos Descobrimentos (onde, dizem, os portugueses ficaram desempregados)!...
Viajo ao Amor, sem deus de asinhas. A Mitologia mia, dei-lhe nome, já era gata e gatinha quando, langorosa, vagarosa se avizinha. Passa a hora a ser dela, vou às festas.

24 comentários:

  1. Poeta, concordo plenamente que toda escrita poética decorre do sentir do corpo e da alma, principalmete da alma.Da gata e da gatinha vejo o Poeta dando mais personagens, deusas à mitologia.Viajar ao amor requer muitas especiarias, especiarias no sentido de força e coragem, afinal o amor é muito combatido.E Deus prá mim é o amor sempre. Boas festas! beijos no coração!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A cor dum "concordo" é a bombordo ou a estibordo, à esquerda ou à direita, acima ou abaixo, à frente ou atrás, apraz-me ir aproximando apr...az de A a Z e conseguir agradecer a você e lhe dar os parabéns de ter sido a primeira a chegar a este texto prendado de comentários que venho ler e responder, mesmo a correr...
      Beijos do coração!

      Eliminar
    2. Poeta, fica dificil prá mim não entender certos acontecimentos, se isso é um jogo, uma disputa não sei. Sei que quando acredito que alguém é seu ou sua amiga tudo da uma reviravolta e eu acabo não entendendo nada.Muito menos estes mistérios de personagens, de gente que não é gente e são tantos ao mesmo tempo.
      Quero que saiba, sempre serei grata a Você.Sempre terei sua poesia como a melhor que já li, continua meu Mestre, o Gigante das Letras.
      Poeta Francisco, se escrevi algo que lhe prejudicou peço perdão e peço que não pare de escrever nunca.
      Prometo so ler e não comentar, talvez ajude.
      Beijos no coração!

      Eliminar
  2. Francisco, escrever pouco é sempre escrever." Corpo e Alma" fala de duas vertentes de uma realidade. A de se ser humano, escrevendo. A de se partir em demanda de novos mundos sonhadso,lado ispiritual.
    As especiarias podem ser o objetivo dessa jornada, um objetivo sempre inalcancável.E porque inalcancável, sempre legítimo e procurado.
    As especearias também podem representar as Índias antigas e lonquínquas, que os homens dos Descobrimentos almejavam.De tal modo que muitos perderam a própria vida...
    Não será porque nós, os humanos, somos corpo e alma!?
    Até que ponto esta "antítese" não é angustiante? Até que ponto não andamos sempre bipartidos entre matéria e espírito? É um dos dilemas humanos, na minha opinião, mas é também o que nos faz ser humanos.SER.E ao sermos, fazemos. Daí que se possa passar da esferográfica ao sonho!
    De salientar a tua transferência para a mitologia e da mitologia para a gata e da gata para o amor e do amor para o real:"vou às festas". É um desenrolar de ideias ou novelos, que se reproduzem a uma velocidade relâmpago. Gosto deste fluir, desta corrente que lembra um ribeiro saltitante!
    Estamos em plenas festas dos santos populares e tu invocas os deuses, acho piada. É um discorrer de ideias que atraem ideias.
    Como uma montanha russa! Bom Dia!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Boas aproximações do real à realidade no vice-versa de versar uma leitura que muito agradeço. Já o dia se foi, votos de Boa noite!

      Eliminar
    2. Há data e hora deste cometário, registo ter encontrado a Sissi, não vi possibilidade de visitar nenhum blog da autora.
      Força Sissi! Beijinho

      Eliminar
  3. Leia-se:mundos sonhados, lado espiritual ... .

    ResponderEliminar
  4. Jacira, sua analise foi maravilhosa. So discordo quanto a evocar deuses. Da mitologia entendo haver muito exagero, mas observando a vida temos provas que os espíritos mais elevados e purificados existem e estão por ai a nos ajudar.Deus não é um inteiro e sim partes de toda evolução das almas e das matérias.É nisso que acredito e nem caberia ter escrito aqui, foi so para justificar minha discordancia nesse sentido. Desculpa! Ler você Jacira tem me dado muita paz.Beijos no coração!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu lhe desejo sempre Poeta, paz, felicidade, sabedoria cada vez mais, tudo de melhor a um Ser.
      Realmente estou muito triste com você dizer despedindo.Não consigo imaginar O Poeta não escrevendo.Sei lá, pareço mais uma vez orfã. Beijos no coração!

      Eliminar
  5. Há três fases da afectividade humana,
    1 quando precisamos que todos nos amem;
    2 quando competimos por amor;

    3 QUANDO SOMOS DONOS DA ALEGRIA DE AMAR!

    A 1 é na infância, 2 na adolescência, 3 na maturidade.
    Há claramente gente que não sai da fase um.

    Nos dois textos aqui representados, eis os perfis:

    texto 1, autora E.A. Emocionalmente o personagem está preso na fase dois pois confunde amor com guerra e competição e se coloca em confortável condição de menina, fazendo assim uma alusão ao ser inocente. Independente da idade que tenha, apresenta forte tendência ao drama e provavelmente faz questão de provocar dor como meio de dizer que venceu a competição amorosa com o parceiro ou parceira.

    Texto 2, autor Francisco Coimbra
    personagem na fase 3, plenamente maduro e dono de suas emoções, faz do amor alegria e da parceira ou parceiro um Deus de prazeres. Matéria e espírito determinados a encontrar a felicidade! Amar é ser feliz! Bravos!

    Francisco, eis os perfis psicológicos dos autores dos dois textos.

    Parabéns por colocar um em confronto com o outro pois são textos que dizem coisas opostas!

    Muito boa a postagem!


    Abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá C.C.
      A minha falha de diligência em dar ao Querêncio este texto, enriqueceu-me com um perfil psicológico que não daria a nenhum personagem podendo conservá-lo para mim. Caro personagem que desafia autores, és uma "mais valia" com e sem aspas, tudo se aproveitando até às raspas! Sendo que estas raspas, servem para a perplexidade que alimentou a postagem de hoje e se prolongará para a de amanhã.
      Grande abraço, com admiração (e não é só para juntar um ponto de exclamação)!

      Eliminar
    2. Instituído o C.C. Gostei!

      Ora nem mais! O perfil pode perfeitamente ser seu sim. Aliás, meu caro, penso ser o Francisco bem próximo disso aí mesmo. Tens estilo e força, o que te faz ser o foco. Fica com o perfil sim, mereces.
      Abraço e também com sincera admiração

      Eliminar
  6. francisco,

    acho que pouco há para acrescentar depois de tantos comentários interessados e cheios de interpretações demonstrando leitura e dedicação. muito bacana que todos estejam lendo o Diário de Letras II com olhos leitores.
    posso acrescentar umas umas opiniões particulares, apenas para fazer diálogo com o texto,
    para mim corpo e alma são a mesma energia e geram saúde imbatível se estão vivenciando a superioridade astral do Amor!!! ah, sim, meus deuses mitológicos ainda têm asinhas :) veja só... rs ainda conto com o cupido e sua imbatível flecha sempre que encontro alguém por quem valha a pena deixar até as festas de lado... ;)
    quanto as especiarias, bem... as melhores pessoas tem mesmo tempero! rs

    adorei o conto e a construção das imagens.
    você nunca escreve pouco ou muito, é sempre "na medida". :))))

    beijo.*.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. perdão francisco, tem "umas" demais", me distraí :)))))

      Eliminar
    2. Betina, e na hora que o corpo dá vontade dar um tablefe e a alma segura? Nunca lhe aconteceu isso?rsrsrs! Beijos no coração!

      Eliminar
    3. eu dou um tabefe com alma! :))))) rs beijos!!!

      Eliminar
    4. "comentários interessados"/interessantes!
      Na medida do possível, desejemos o impossível de forma a que o sonho seja possível. Isso deve ser o suficiente para a Mitologia ronronar... miau, beijos.

      Eliminar
  7. Mais um aprendizado prá mim.Obrigada Betina! beijos no coração!

    ResponderEliminar
  8. Betina, tabefe com alma!Que classe! Que calma!!! beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. tem de ser Jacira, elegância é o que mais atinge a quem nos atinge. :)

      beijo.

      Eliminar
  9. Não tarda foi-se a Terça, uma boa Quarta! Beijos & Abraços

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Poeta, eu nunca entendi isso. Muito menos você despedir.
      Me explica por favor! Beijos no coração!

      Eliminar

Os comentários que receber serão pessoais, para receber resposta pessoal. Só divulgarei se contiverem esse pedido, justificando o seu motivo. O meu motivo é este, transformar a comunicação numa intenção íntima e (bem) pessoal.