quarta-feira, 28 de março de 2012

SOO O SOM DO SER

28
SOO O SOM DO SER

estás aqui em minha casa
a qual será tua assim espero
no sentimento de sentir

o momento a fluir no tempo
sem haver um términos

soo, enquanto o canto canta!
 
Assim


chego onde me levas voo
no som que dás à voz
onde o canto canta

meu encanto de ser
e de dizer-te sim

assim és e serás, tu dás!
Mim 

5 comentários:

  1. Pois é… a imaginação alimenta-se ou é alimentada? Se é alimentada, acho piada. Se a tenho de alimentar, olha o trabalho, responsabilidade, despesa de tempo e o alento necessário! Não, vou passear. Amanhã volto a passar, não levem a mal ao narradoR. Bem, se levarem, vou meditar até entrar num estado de levitação tal que a transcendência será em estado incorpóreo. Deve dar o gozo danado de naus à descoberta de Novos Mundos. Sonho com isto, a minha mãe deve ter prensado Vasco e meu pai Gama, só registaram R? Minha imaginação vai fazer filhinhos com as afilhadas do vizinho, ou está chegando das migrações das avezinhas. É um problema sério, pois é, seRá?

    ResponderEliminar
  2. Lindo cântico numa morada de poesia e amor.Assim e MIm cantam, encantam,dizem, sentem, dão-se ao alimento, alimentam-se.Nunca é demais ler, reler.Beijos no coração! bbrian.

    ResponderEliminar
  3. «Nunca é demais ler, reler»

    um beiJÃO***

    ResponderEliminar
  4. Boa tarde,é preciso ter imaginação. Nem todos têm o dom de a ter e de a desenvolver, porque alguns até a têm e não a desenvolvem.Muitas vezes porque não têm paciência. É mais fácil copiar, ir atrás dos outros, como carreiros de formigas extraordinariamente obedientes e serviçais.
    Com a imaginação vem o trabalho de se ser imaginativo. É verdade, isso de se pensar pela nossa cabecinha é trabalhoso, dá que fazer, requer persistência, alguma coerência, e uma ponta de demência saudável, também...Irrita-me, quando eu posso ser original em tudo o que faço, e não me deixam. É uma das minhas algemas. Bem que luto contra elas, mas a força da gravidade doméstica,a severidade horária, rotinas implacáveis, nem sempre me deixam ser rio, lua ou girassol! Ou um cisne negro ou escarlate!!! Ou agulha ou faulha!!!
    Mas, a imaginação está colada ao pensamento, deliciosamente. Ainda bem!Se alimenta ou é alimentada, se calhar as duas coisas.E tem de ser muito bem estimada.A poesia respira imaginação por todos os poros...
    beijinho de bom serão! jaciraisabel

    ResponderEliminar
  5. Francisco, Grande Poeta, dá-se o tempo que precisar. Poetas não são máquinas nem robos. Às vezes mergulham no silêncio, na inatrospecção, na essência tranquila, no retiro espiritual em busca de renovação, de altivez, de alimento.
    A poesia é como fonte, natural.
    Releio seus versos, sua escrita sempre com muito prazer e cada leitura me surpreendo com um olhar e sentir diferentes.
    Beijos no coração! bbrian.

    ResponderEliminar

Os comentários que receber serão pessoais, para receber resposta pessoal. Só divulgarei se contiverem esse pedido, justificando o seu motivo. O meu motivo é este, transformar a comunicação numa intenção íntima e (bem) pessoal.